Controle Integrado de Pragas

Escorpiões

No ambiente doméstico habitam lugares escuros e úmidos, como armários, guarda-roupas, debaixo de móveis, dentro de vasos e outros lugares que possam oferecer proteção. Além disso, são comuns em construções onde se abrigam em acúmulo de entulho, principalmente tijolos de argila, telhas e lages de concreto.

Sua picada causa dor intensa, sensação de ardência ou agulhadas, inflamação no local são os sintomas mais comuns da picada de escorpião. Nos casos mais graves, pode acarretar aumento da frequência cardíaca, suores, enjoos, dificuldade para respirar, queda de pressão. Geralmente, as crianças ficam inquietas e apresentam movimentos descoordenados.

Aranhas

As aranhas se comportam como qualquer outro ser vivo, quando se trata de encontrar seus habitats. Elas encontram os melhores lugares com fontes de alimentos, aptidão para caça, calor, abrigo e segurança contra predadores. Algumas aranhas precisam de muita umidade, enquanto outras preferem lugares secos como um osso. Algumas se alimentam de pássaros, enquanto caçam pequenos insetos. Cada uma dessas variações de espécies requer um lugar diferente para chamar de lar, e as aranhas são muito boas em localizarem os lugares certos para qualquer situação.

As picadas são normalmente irritantes, mas não venenosas. Perante estas, a vermelhidão no local da picada e o inchaço são habituais e costumam passar em alguns dias. No entanto, algumas aranhas são venenosas, como a viúva negra e a aranha-marrom, esta última também conhecida como aranha-violino.

Baratas

As baratas podem viver no ambiente aquático, desértico, silvestre e doméstico. Em relação às espécies sinantrópicas (domésticas), elas costumam abrigar-se em frestas e locais quentes, úmidos e próximos a alimentos como redes de esgoto, porões, armários e gavetas, cozinha e dispensa de alimentos. São insetos residencialistas, já que geralmente saem forragear a procura de comida e retornam para o mesmo local. De modo geral, possuem hábitos noturnos e são lucífugas, ou seja, durante o dia vivem escondidas em recantos escuros.

Do ponto de vista doméstico, podem causar algum prejuízo ao roer roupas, papéis ou documentos, bem como, ao sujar o ambiente com seus excrementos e proporcionar odor aos utensílios domésticos, principalmente na cozinha e dispensa de alimentos.

Carrapatos

Seu habitat, a saber, pocilgas, galinheiros, pombais ou cabanas rústicas, estão intimamente associados ao do homem e dos animais domésticos. Ocorrem também em locais remotos, longe das habitações humanas, tais como solo solto, cascas de árvores, tocas de animais, cavernas e ninhos de aves silvestres e marinhas. Aqueles que habitam ninhos vivem em micro-habitats relativamente estáveis, alimentando-se e reproduzindo-se continuamente durante o ano. Em argasídeos e ixodídeos que habitam ninhos, o desenvolvimento pode ser adaptado sazonalmente, podendo uma geração levar um ano ou mais, em climas temperados.

Os carrapatos hoje constituem o segundo maior grupo em importância como vetores de doenças infecciosas por utilizarem mais de um hospedeiro e possuírem ampla distribuição geográfica. No caso do gênero Amblyomma e Ixodes as larvas podem ser encontradas sobre qualquer animal. O maior potencial e risco para a transmissão de patógenos para seres humanos são em regiões de florestas, cerrados nativos, descampados e pastagens. Os fatores que favorecem a transmissão desses patógenos são a quantidade de parasitas sobre o hospedeiro, menor grau de especificidade dos carrapatos e longos períodos de jejum.

Formigas

As formigas vivem em colônias e são consideradas resistentes, pois conseguem habitar praticamente todos os ambientes terrestres. Sua exceção se dá nos pólos do planeta, onde não existe ocorrência de tais insetos. Existem formigas de diferentes espécies, cores e tamanhos e também com diferentes preferências alimentares, o que determina sua vida e o local onde vão habitar e construir seus ninhos e, também o grau em que podem ou não ser prejudiciais ao homem.

Por passarem por locais como o lixo, em que diversos agentes microbianos são encontrados, as formigas domésticas, através de suas patas e cerdas, podem ser veículos de inúmeros agentes causadores de doenças, ocasionando diarréias e vômitos caso os alimentos sejam contaminados por estes insetos.

Algumas espécies instalam-se em aparelhos domésticos eletrônicos, por eles apresentarem temperatura adequada para sobrevida e procriação, e liberam uma substância ácida que deteriora os aparelhos.

Pulgas

Este inseto é considerado um parasita, que, por viver na parte externa do corpo do hospedeiro, é chamado de parasita externo ou ectoparasito. Durante a fase larvária possuem hábitos de vida livre. Algumas espécies apresentam um hospedeiro específico; outras, embora apresentem hospedeiros preferenciais, podem sugar outros animais, daí sua importância na transmissão de doenças.

Podem causar doenças atuando como parasitas, transmissores (vetores) ou como hospedeiros intermediários. Provocam irritação da pele devido à picada, podendo causar alergias e irritação da pele com prurido (coceira). Podem causar lesões na pele nos locais da picada, com possível veiculação de doenças oportunistas: tétano, gangrenas gasosas e micoses.

Piolhos

Os piolhos são insetos muito pequenos que vivem no couro cabeludo e que podem ser transmitidos pelo contato próximo com outras pessoas. Os piolhos podem viver por um ou dois dias fora do corpo. Eles também podem ser encontrados nas sobrancelhas e nos cílios.
Os principais sinais e sintomas de piolhos incluem:
Coceira intensa;
Cócegas e sensação de movimento dos cabelos;
Ovos dos piolhos (lêndeas) presentes em fios de cabelo, que podem ser confundidas com caspa, embora não possam ser facilmente escovadas para fora do cabelo;
Pequenas saliências vermelhas no couro cabeludo, no pescoço e ombros.

Traças

As traças têm preferência por ambientes úmidos e apresentam hábitos diurnos e noturnos, sendo ativas à noite e escondendo-se durante o dia, evitando contato direto com a luz. Assim, ao acender-se a luz de um aposento, as traças procuram se esconder em frestas ou atrás de móveis e quadros. São muito ágeis e escondem-se rapidamente em frestas de móveis, armários, rodapés e caixas, sendo este último, o principal veículo de dispersão do inseto, levada junto a livros e utensílios domésticos em casos de mudança.
Não existem registros de doenças transmitidas/causadas ao ser humano diretamente relacionadas a esses animais.
Pacientes atópicos com rinite alérgica e/ou asma brônquica apresentam sensibilidade a aeroalérgenos, sobretudo ácaros. As traças-de-livro são potenciais fontes de alérgenos, mas ainda necessitam ser confirmadas como alergênicas e relacionadas a doenças alérgicas respiratórias. Estudos já estão em desenvolvimento.